RMB - Vivenciando as mudanças da vida. Vá agora para a nova RMB! rpgmakerbrasil.net!


    A Criação de Personagens

    Compartilhe
    avatar
    Link²
    Membro
    Membro

    Masculino Mensagens : 137
    Experiência : 2056
    Reputação : 11
    - : Nada :) - : nada :)

    Ralph A Criação de Personagens

    Mensagem por Link² em Sab Nov 03, 2012 8:17 pm

    Aqui vai um tutorial sobre como criar personagens que eu considero de extrema ajuda, pq foi com ele que eu iniciei minha carreira de rpgista e comecei a criar meus personagens loucos, e outras coisas. Como eu achei ele? Simples!:

    Spoiler:
    Eu tava procurando uma história no meu e-mail antigo (que eu tinha mandado pro meu primo quando eu e ele começamos a jogar esse tipo de coisa que talvez eu poste se eu lembrar dela.) que eu fazia quando eu era menor que eu viajava pra caramba e pelo menos pra mim ela era incrível e infindável (ainda é, se eu lembrar dela), mas ele tava rackeado e o email alternativo era o antigo do meu irmão que não existia, pq eu tinha escrevido errado, então eu tive que criar o tal do e-mail e mandar o código de retorno pro e-mail pra poder entrar na conta, achar a minha história e ao invés dela eu achei esse tutorial que meu primo tinha me mandado... É, longa história.

    Mas... Vamos ao que interessa! (já enrolei de mais, como de costume.)

    Spoiler:

    A Criação de Personagem


    História de Vida:
    Seu personagem nasceu em algum lugar, cresceu e viveu. O que aconteceu com ele durante esse tempo? Quais foram os pontos altos de seu passado dos quais ele se orgulha? De quais se envergonha? Veja que não é necessário descrever cada mísero traço da vida dele, apenas aqueles que têm alguma relevância em sua opinião. A morte de um grande amigo, um rompimento traumático com uma namorada (o).
    Esses traços ajudam você a entender como ele encara a vida, são experiências assim que forjam o caráter do personagem. Se ele é honesto talvez tenha sofrido com uma traição, por exemplo. Lembre-se de que não existe presente sem um passado

    Círculos sociais:
    Ninguém sobrevive completamente sozinho, se até o Tarzan tinha contato com os animais, seu personagem também deve ter um circulo de amizades e contatos. Tente especificá-los da melhor maneira possível em seu prelúdio pois o narrador certamente fará algum uso dessas informações durante o jogo. Os NPC´s não são para serem criados exclusivamente pelo narrador, pelo contrário, espera-se que o jogador descreva pelo menos alguns com os quais ele tem contato. Personagens que “brotam do chão” e passam a vida inteira sozinhos são o caminho mais rápido para uma estória monótona e sem sentido. Afinal quem consegue criar um enredo descente pra um personagem que “existe por existir”?

    Perfil Psicológico:
    “ Olha doutor, quando eu tinha 5 anos eu caí da escada e desde então...”. Exageros a parte, todo personagem teve uma trajetória de vida, experiências que o marcaram e o tornaram como ele é. Não é necessário dizer o motivo que leva seu personagem a gostar de bolo de chocolate, mas será muito bom dizer por que ele tem odeia violência, por exemplo.
    Além desse tipo de explicação, o perfil psicológico do personagem deve conter os traços marcantes de sua personalidade. Coisas extremamente genéricas como “Sou um cara bondoso” ou “Sou frio e sem sentimentos” são exemplos de perfis que NÃO se deve usar. Especifique a maneira do personagem se comportar, aquilo que o irrita, as coisas que ele gosta, o que o assusta ou o excita, até detalhes bobos como o tipo de música favorita são bem vindos. Lembre-se que seu personagem não se comporta da mesma maneira o tempo todo, então descreva em que ambientes ou situações seu estilo de agir pode mudar.
    Não tenha medo de dar SENTIMENTOS a ele, pois isso tornará sua interpretação muito mais vívida e valiosa.

    O Tempo Presente:
    O passado pode definir o caráter do personagem, mas ele vive no presente, então nada mais óbvio do que destrinchar um pouco disso no prelúdio. Onde o personagem vive? Com o que trabalha? Está feliz? Entediado? É no tempo presente que as emoções do seu personagem serão mais preponderantes. Ele pode estar infeliz ou cansado da monotonia e da rotina diária. Pode estar com um problema e precisa correr atrás de uma solução para isso.
    É no presente que todo o prelúdio culmina, pois tudo o que foi feito antes irá se juntar aqui para definir o que é provavelmente a coisa mais importante no prelúdio, a Motivação.

    Motivação:
    É o que move seu personagem, o que ele quer da vida, e nem pense em baboseiras filosóficas como “Quero fazer do mundo um lugar melhor”. Esse é o momento da sinceridade. Seu personagem segue uma trilha tentando chegar a algum lugar, qual seria ele? Ele continua uma jornada por que algo lhe da forças para tal, que objetivo é esse que o move? Jamais tente criar um personagem sem definir claramente sua motivação na vida ou você será apenas mais um peão dentro da partida de xadrez, fazendo o que lhe é ordenado apenas por fazer. Se você fica feliz em apenas seguir ordens e rolar dados então nem deveria estar lendo isso não é?
    Tenha isso sempre em mente quando estive jogando, sua motivação é a base da alma de seu personagem e deve ser a base de sua interpretação também.

    Pontas Soltas:
    Um grande problema enfrentado por vários narradores é que boa parte dos jogadores, experientes ou não, tentem a achar que o prelúdio de seus personagens deve ser bem “amarrado”, perfeito, sem falhas ou lacunas: ERRADO. Pontas soltas são algo extremamente útil para os narradores, embora não influenciem em praticamente nada no personagem em si ou em como você vai interpretá-lo, são elas que irão permitir ao narrador colocar você na estória!
    Parece insano a princípio, se dar ao trabalho de fazer um prelúdio detalhado e bem planejado e então colocar buracos nele, mas pense como um narrador vai por você em cena? Como ele vai ligar você a um enredo que ele muito provavelmente havia criado antes de você criar seu prelúdio?
    Pontas soltas não precisam ser grandes mistérios envolvendo o personagem.
    • Talvez o fato de ele nunca ter visto diretamente o próprio chefe do trabalho...
    • Aquele parente que ele não vê há anos ter mandado uma carta agendando uma visita...
    • Aquele porão que ele nunca teve tempo de limpar, onde o último dono deixou quinquilharias...
    Qualquer pequena lacuna pode ser usada como um gancho pelo narrador. Isso reduz drasticamente ostress da primeira sessão de jogo onde normalmente o narrador perde um bom tempo inventando algo para seu personagem entrar na estória, tente direcionar essas lacunas de modo que elas se adéquem mais facilmente ao cenário escolhido. Facilite o trabalho dele e você se divertirá bem mais durante o jogo.

    Lembre-se: Esta matéria não visa trazer verdades absolutas ou alterar seu modo de jogo. Caso não concorde com algo dito aqui, apenas não utilize...

    Atenção especial nas pontas soltas. Realmente, pontas soltas ajudam, deixa as coisas muito mais emocionantes.
    Ah! E se eu não me engano, esse tal primo é cadastrado aqui, mas não utiliza o fórum, só se atualiza de vez em quando. osoares é seu nome, o cara é gente boa, talvez eu puxe ele pro fórum da Ammy.
    Espero ter ajudado!
    !Adios!
    avatar
    GuiRPG
    Associado
    Associado

    Masculino Mensagens : 30
    Experiência : 2896
    Reputação : 4

    Ralph Re: A Criação de Personagens

    Mensagem por GuiRPG em Qui Nov 22, 2012 8:39 pm

    Muy Bueno! Pra quem tem dificuldades nesse quesito personagens, o tutorial realmente serve. Enfim, +REP

      Data/hora atual: Qua Dez 13, 2017 5:26 am